Conto: Gordinha se apaixona por aluno de academia em que trabalha como recepcionista - Capítulo 6 de 7

By | sexta-feira, setembro 23, 2011 1 comment
O ódio e a separação: A 'vida' as vezes nos prega peças. Acompanhe o sexto capítulo, e veja o que aconteceu com Cláudia.(Capítulo 6) 


"Logo que vi André saindo da academia sozinho, exigi uma explicação para aquele comportamento estranho: "Por que você sempre age assim comigo quando está com outra pessoa?". "Aquele Victor é meu... cunhado!", respondeu cabisbaixo.
Senti o chão desaparecer! Sem acreditar, não conseguia tirar os olhos do rosto dele. "Você é comprometido?", sussurrei. André, sem graça, fez que sim com a cabeça. Sem me conter, dei-lhe um tapa. Jamais havia agredido alguém, mas não contive minha fúria. Afinal, fui enganada pelo homem que tanto amava.
O safado tentou me abraçar, mas saí correndo. De longe, o maldito gritava meu nome. Eu o ignorei. Ao atravessar a rua, não dei atenção aos avisos para ter cuidado. Um carro me arremessou longe e desmaiei.
Quando abri meus olhos, me sentia toda dolorida. Meu pai estava sentado ao lado da cama. "Claudinha, você vai ficar boa. O médico prometeu lhe dar alta nos próximos dias", disse ele, aos prantos. Em volta, no quarto, notei uma infinidade de flores lindas e coloridas. "São dele!", murmurou papai, com ódio.
Dias depois, deixei o hospital sem levar flor alguma. Minhas colegas do trabalho foram me visitar em casa. "Estamos sentido sua falta", disseram. Ao contrário daquele miserável adúltero, elas pareciam agir com bastante honestidade.
Todos os dias recebi torpedos de André. Os textos sempre terminavam com um pedido de desculpas. Eu os lia e, imediatamente, os apagava. Como as feridas no meu corpo, as mágoas demorariam para cicatrizar. Na volta à academia, fui recebida com festa. Muitos alunos vieram saber como eu estava. Então, me dei conta do quanto estava julgando mal as pessoas: elas não eram tão preconceituosas quanto pareciam.
No fim do meu primeiro dia de retorno ao batente, André apareceu. Estava com olheiras e a barba por fazer. Estranhei, pois era sempre muito alinhado. Ao se aproximar, me encarou. Mesmo explodindo de emoção, fiquei fria: "Eu me separei", revelou ele. "Filho da mãe!", pensei alto. Tremendo, fui para o banheiro chorar e pensar no que fazer com aquelee homem que, apesar de tudo, eu amava!" 

CAPÍTULOS DO CONTO - GORDINHA SE APAIXONA POR ALUNO DA ACADEMIA EM QUE TRABALHA COMO RECEPCIONISTA:


Um comentário: Leave Your Comments