Poema em inglês sobre bullying: We All Bleed Red (Todos sangramos vermelho)

By | quinta-feira, julho 15, 2010 14 comments
Um poema em inglês sobre bullying. Leiam com atenção e reflitam. 
É realmente muito forte!
Bullying é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully ou “valentão”) ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. 
WE ALL BLEED RED… (Todos sangramos vermelho...) 

Maybe I can’t write a sentence or one word at all,
Talvez eu não consiga escrever uma frase, ou mesmo uma palavra,
But does that mean you can push me against the wall?
Mas isso significa que você pode me empurrar contra a parede?
Maybe I can’t read as good as the rest of the class,
Talvez eu não consiga ler tão bem quanto o restante da classe,
But that mean you have to trip me as I walk past?
Mas isso significa que você tem de me fazer tropeçar quando estou passando?
Maybe I can’t kick a ball as far as the best,
Talvez eu não consiga chutar a bola tão longe quanto o melhor,
But does that mean I stand out from the rest?
Mas isso significa que sou diferente dos demais?
Maybe I can’t shout as loud as you can,
Talvez eu não consiga gritar tão alto quanto você,
But does that really make me any less of a man?
Mas isso me torna um homem menor?
Maybe I’m a different colour, a different race,
Talvez eu seja de uma outra cor, uma raça diferente,
But does that give you the right to hit my face?
Mas isso lhe dá o direito de bater no meu rosto?
Maybe my glasses make my face look round,Talvez meus óculos façam meu rosto parecer redondo,
But does that mean you have to throw them to the ground?
Mas isso quer dizer que você deve atirá-los no chão?
Maybe I’m poor, and have no money,
Talvez eu seja pobre, e não tenha dinheiro algum,
But does that mean you can mock me so your friends think you’re funny?
Mas isso quer dizer que você pode me ridicularizar para que seus amigos o achem engraçado?
Maybe I wear clothes by Adidas or Nike,
Talvez eu vista roupas Adidas ou Nike,
But does that give you the right to steal things I like?
Mas isso lhe dá o direito de roubar as coisas de que gosto?
Maybe I’ll never win, and I’ll always lose,
Talvez eu nunca venha a vencer, e seja sempre um perdedor,
But could you leave me alone? Do I get to choose?
Mas você pode me deixar em paz? Posso escolher?
Maybe you don’t care if I’m alive or dead,
Talvez você não se importe se estou vivo ou morto,
But you won’t be the one visiting a hospital bed.
Mas você não será o único a visitar uma cama de hospital.
If there was only one thing that I wish would sink into your head :
Se eu pudesse escolher uma única coisa para entrar na sua cabeça seria isto:
“We are all the same. We all bleed red…
“Somos todos iguais. Todos sangramos vermelho…”
Anthony Kisley 2000 
 
(Extraída do livro: GLOBETROTTER – Inglês para o Ensino Médio .
Marcelo Baccarin Costa.)



14 comentários: Leave Your Comments

  1. Cuidado, hein, bullys e o Anônimo de cima... inveja mata!

    ResponderExcluir
  2. adoooooreeii :)
    mto bom o//
    parabéns \\o//

    ResponderExcluir
  3. Que merdaaa.. Hj em dia qq bosta vira poema.

    ResponderExcluir
  4. Em resposta a esse anônimo que disse que qq bosta vira poema, vai aí um poema...e só para completar; cultura é isso apesar de vc não entender "merda" nenhuma....qto ao poema acima pena que poucos entenderam a mensagem....abraços


    A Flor e A Bosta

    Caguei uma bosta no meio da rua.
    Uma bosta feia, retorcida e escura.
    Ali permanece até ressecar
    e então pára de feder.
    Aí vem a chuva e molha minha bosta,
    que amolece e se esfacela um pouco,
    mas permanece firme no todo.
    E então retornam-lhe as moscas.
    E a bosta resseca e as moscas vão embora,
    mas que surpresa não se vê agora:
    nasceu uma flor no meio da bosta!
    É bonita. Parece um cogumelo,
    mas olhando bem de perto
    percebemos suas pétalas:
    claras e pegajosas,
    as pétalas da flor
    que ali nasceu na bosta.
    Um bêbado que por ali passa
    quase pisa na bosta mas pára:
    contempla, sorri, admira
    e acaba vomitando em cima.
    A flor fica verde e mais pegajosa.
    Na bosta, em torno dela,
    proliferam-se civilizações
    de fungos e bactérias.
    E o tempo passa.
    Anos depois, retorno àquela rua
    e me petrifico:
    em torno da flor,
    agora uma árvore gigantesca,
    ergueu-se na bosta
    uma enorme nação;
    vermes, baratas e varejeiras
    colossais fundaram ali um país.
    Percebem-me e param seus trabalhos;
    e então, curvam-se a mim fascinados:
    sou seu Deus, seu criador, que, horrorizado,
    dá-lhes as costas e foge de seus filhos.
    Chego em casa e vomito.
    Mas não acordo:
    a flor e a bosta,
    não eram sonhos.

    Leo Pinto, 2003

    ResponderExcluir
  5. isso e verdade amei esse poema as pessoas que escrev eisso no comentario estao morrendo de inveja ok! bom trabalho!

    ResponderExcluir
  6. E pensar que vivemos com isso e nem ao menos movemos um dedo para mudar. Precisamos agir para que os atos que esse poema dita não sejam realizados NUNCA MAIS

    ResponderExcluir
  7. cara esse poema da bosta foi lindo kkkkkk
    + prefiro akela frases xD (sem rescentimentos)

    ResponderExcluir
  8. ADOREI ... ESPERO Q PEESOAS Q PRATICAM ESSA FORMA D AGRESÃO SE LIGUEM ,E PERSEBAM Q SOMOS TODOS IGUAIS.

    ResponderExcluir
  9. adorei o poema da bosta, muito poético!

    ResponderExcluir
  10. The bullying poem is very interesting at all!
    Congratulations to Antony Kisley!

    ResponderExcluir
  11. foda-se! the zoera never ends !!!! chera minha bosta

    ResponderExcluir
  12. gostei muito do poema parabens

    ResponderExcluir